top of page

Cristhiano Aguiar: o nordestino gótico

Seu último livro, Gótico Nordestino, tem sido recebido de braços abertos pelo público e considerado pela crítica como um dos principais lançamentos de 2022.

Foto por: Ester Carolina

Cristhiano Aguiar é professor, crítico literário e escritor.


Escreveu livros como Na outra margem, o Leviatã e Gótico Nordestino. O último foi lançado pela editora Companhia das Letras e vem colecionando elogios pela sua narrativa insólita e sombria.


Gótico Nordestino tem recebido grande aceitação por parte do público e é considerado um dos principais lançamentos do ano.


Aguiar teve textos publicados em países como Equador, Argentina, Inglaterra e Estados Unidos.


Atuou também como pesquisador-visitante na University of California, em Berkeley.

Infância


Cristhiano Aguiar nasceu em Campina Grande, Paraíba, em maio de 1981. É filho dos professores universitários Virginia e Benedito.


Morou no nordeste até os dezoito anos, mas passou parte da infância em Berlim, onde seu pai fez doutorado em Engenharia.


Ainda criança, Cristhiano teve contato com histórias bíblicas, que foi uma realidade muito presente em sua vida, por fazer parte de uma família evangélica.


Seus avós foram os principais responsáveis por compartilhar essas histórias.


As histórias religiosas que Cristhiano ouvia despertou nele o interesse pelos livros.


As pessoas, em especial minhas avós, contavam histórias da Bíblia para mim. Isso me fez amar a ideia de histórias, muitas delas com viés sobrenatural, além de me fazer amar a ideia de livro.

Ele nos conta.


Além disso, Cristhiano Aguiar também recebeu muito estímulo dos pais, que sempre o incentivaram a leitura.


Desde pequeno Cristhiano frequentava bibliotecas. Uma delas, chamada Cantinho da Gente Miúda, foi onde ele se reconheceu como leitor.


Era um leitor assíduo e todas as semanas ele pegava novos livros emprestados. O gosto pela leitura foi aumentado exponencialmente e, dentro dele, foi despertando também o desejo de ser escritor.


Teve o seu primeiro texto publicado aos 10 anos de idade no Jornal da Paraíba. Era um conto de ficção científica.


Cristhiano Aguiar brinca dizendo que teve duas certidões de nascimento: uma do hospital, e outra das letras, com essa publicação no jornal.


Foi com essa primeira publicação também que Cristhiano entendeu o seu amor pela escrita.


A infância é definitiva, acontecem coisas nela que definem a gente a vida toda.

Mais tarde


A adolescência de Cristhiano Aguiar foi marcada por histórias em quadrinhos. Inclusive, em A Noiva — um dos contos presente em Gótico Nordestino — ele faz uma breve referência a Carlos Zéfiro, criador dos famosos "catecismos".


Depois de um pequeno hiato durante a primeira fase de sua adolescência, Cristhiano começa a escrever de forma mais intensa. Nessa época, ele tinha 15 anos.


Cristhiano Aguiar esteve muito presente no cenário literário de Recife. Criou eventos, coordenou festivais literários, editou revistas etc.


Toda essa entrega aos livros fez com que ele ficasse conhecido no meio, contribuindo para o desenvolvimento de sua carreira como escritor.


No entanto, mesmo com todo o envolvimento na literatura, ainda sim não foi fácil conseguir ser aceito por uma editora.


Depois de muitas obras rejeitadas, as coisas começaram a fluir.


Em 2018, ele conseguiu chamar a atenção de uma editora independente, a Lote 42, com o qual teve a sua primeira publicação: Na outra margem, o Leviatã.


Após essa publicação, as portas começaram a se abrir, até que a MTS — uma das maiores agências literárias do Brasil — notou o seu trabalho e demonstrou interesse em representá-lo.


Com a representação da agência e com os esforços de sua agente literária Mariana Teixeira Soares, ele conseguiu com que sua mais recente obra, Gótico Nordestino, fosse publicada pela editora Alfaguara/Companhia das Letras.


Cristhiano deixa claro que as publicações que eles fez de maneira independente foram cruciais em sua carreira:


Eu acrescento que as publicações independentes que eu participei também ajudaram a divulgar meu trabalho, mesmo que para um público bem restrito.
Mas o trabalho com a literatura é meio silencioso, lento, mas ele caminha, às vezes sem a gente se dar conta.

Obras que influenciaram 'Gótico Nordestino'




Gótico Nordestino foi influenciado por escritores como: Edgar Allan Poe, Augusto dos Anjos, Machado de Assis, Clarice Lispector e José Lins do Rego.


Aguiar destaca que gosta muito dos contos fantásticos de Poe e da poesia de Augusto dos Anjos.


Assim como, da prosa modernista de Clarice e de José Lins do Rego. Gosta também dos contos de Machado de Assis.


Música


Cristhiano escuta muito rock, MPB e blues. Tem o hábito de escrever ouvindo música.


Artistas como Caetano Veloso e Belle and Sebastian fazem parte de seu cotidiano.


Na MPB sou fanático por Caetano Veloso, adorei o último disco dele. No rock gosto de muita coisa, de heavy metal até Belle and Sebastian.
Ah, também gosto de chorinho.


Outras obras do autor


Durante sua trajetória, Cristhiano Aguiar publicou textos em diversos formatos: sites, blogs, e-books, edições em formato de cordel e também edições cartoneras.


No início de sua carreira, publicou muitos textos de forma independente.


Obras publicadas:


  • Ao lado do muro (2006, editora Meta);

  • Narrativas e espaços ficcionais: uma introdução (2017, editora Mackenzie);

  • Na outra margem, o Leviatã (2018, editora Lote 42);

  • Gótico Nordestino (2022, Alfaguara/Companhia das Letras).


Crsthiano Aguiar comenta que está trabalhando em novas histórias, mas que ainda não pode dar muitas informações sobre elas.


Recado para novos escritores


Um dos pontos mais importantes no trabalho de escritor, segundo Cristhiano Aguiar, é o trabalho do autor com o seu próprio texto. Ele destaca que:


...o mais importante trabalho de um escritor ou escritora é o trabalho com o seu próprio texto. Então é sempre importante ler bastante, ler com atenção, estudar sempre que possível.
Mas também ficar aberto para o que a vida pode trazer de ideias e humanidade para as suas histórias.
Por fim, lembrar que o sucesso do colega não é o seu fracasso pessoal, cada um tem sua trajetória.

Prêmios


Em meados de 2008 Cristhiano ganhou o seu primeiro prêmio literário, tratava-se do prêmio Osman Lins de contos.


Anos depois, venceu também o concurso promovido pela antiga revista Granta, que selecionou os melhores jovens escritores brasileiros para participar da antologia.


Em outubro de 2022, Cristhiano Aguiar, com sua obra Gótico Nordestino, venceu em primeiro lugar o Prêmio Literário Biblioteca Nacional 2022, na categoria Conto.


Perguntas finais


No fim da entrevista, nossa equipe perguntou ao escritor quais os motivos pelos quais as pessoas deveriam ler Gótico Nordestino. Ele nos respondeu com franqueza:


Por que devem ler Gótico Nordestino? Eu acho que ninguém tem obrigação de ler qualquer coisa, mas eu acho que, se você, leitor(a), estiver curioso com o meu livro, posso dizer que ele é composto por 9 contos que tentam falar sobre questões existenciais, sociais e brasileiras através do terror e do sobrenatural.
É um livro que pensa muito a nossa experiência da pandemia.
Eu escrevi Gótico Nordestino para contar 9 boas histórias, mas também para expressar coisas muito pessoais minhas. E acho que o livro tem conseguido se conectar com as pessoas.

Além disso, perguntamos também sobre os motivos pelos quais ele escreve. Ele nos respondeu:


Por que escrevo? Eu já tentei pensar em muitas respostas para essa pergunta, todas muito "espertas", ou supostamente "sábias".
Mas a verdade é que escrevo porque não sei fazer outra coisa e porque é uma das atividades nas quais me sinto plenamente eu mesmo.

Conclusão


Em entrevista exclusiva, Cristhiano Aguiar fala de sua mais recente obra — Gótico Nordestino — e nos conta um pouco sobre sua trajetória na literatura.


Nos apresenta também um pouco das dificuldades e dos desafios que encontrou em sua carreira até conseguir ser publicado por uma grande editora.


Além disso, ele presenteia o leitor com dicas importantes para quem deseja seguir carreira literária.

 

Fontes: Entrevista exclusiva


Comments


bottom of page